Pílulas | Trailers, a estreia de O Hobbit e listas de fim de ano

17 dez
Trailers da semana:

|O Homem de Aço, de Zack Snyder|

Superman - O Homem de Aço|Está sendo bem interessante seguir a campanha de marketing para o novo filme do Super-Homem. Zack Snyder parece ter deixado a festa puramente estética que foi Sucker Punch e parece querer investir em uma visão um pouco mais séria do herói. A ideia de uma pegada à la Dark Knight (e a presença do diretor daquela trilogia, Christopher Nolan, como produtor aqui, ajuda ainda mais a passar essa sensação) pode cair muito bem a um personagem que, simplesmente, é forte demais para seu próprio bem. De fato, há boas questões a serem trabalhadas em Super-Homem afinal, entre várias outras coisas, ele é um dos poucos heróis que se disfarça de ser humano comum para esconder sua identidade real e não o contrário. Além disso, o personagem é provavelmente um dos super-heróis mais famosos da história dos quadrinhos e por isso merece pelo menos um bom filme.

Continue lendo…

Anúncios

Os Vingadores | Maior que a simples soma das partes

14 maio

Pode parecer injusto medir o sucesso de um filme a partir de uma única sequência, mas creio que a própria Marvel é culpada disso. Ao investir em um experimento raro na história dos blockbusters americanos, e produzir cinco filmes de super-heróis que apontavam para a produção de um sexto que reuniria todos eles, pode-se dizer que o sucesso ou fracasso de Os Vingadores (The Avengers, no original) seria medido, em grande parte, pela cena em que finalmente os heróis se juntariam para combater o mal.

É um bom sinal, portanto, que o tal momento não só é uma ótima sequência de ação, grandiosa e divertida, como também é melhor do que qualquer coisa que tenha aparecido nos filmes solo dos heróis em questão. Nas mãos do diretor-roteirista Joss Whedon, Os Vingadores é cinema-pipoca bem executado.

(Não continue se ainda não assistiu ao filme)

Continue lendo…

Pílulas | Viagens no tempo e os 100 melhores filmes de terror

17 abr
Trailers da semana:

| Looper, de Rian Johnson | Uma das nossas 10 apostas para o cinema em 2012, Looper acaba de ganhar seu primeiro trailer e poster. Joseph Gordon-Levitt interpreta um assassino de aluguel que precisa dar cabo de seu “eu do futuro”. O problema é que seu eu-futuro é um Bruce Willis em modo Duro de Matar: On. Com apenas dois filmes, Johnson já mostrou que é confiável ao trabalhar dentro de gêneros específicos. Por isso, é animador saber que sua trama passa tão perto do paradoxo essencial das viagens no tempo: e se você matasse você mesmo?  Se o jovem morrer, o universo explode? E se o velho morrer, quer dizer que nada acontecerá ao sujeito até que ele complete o ciclo e volte no tempo para ser morto por ele mesmo? Pois é. Atenção para a maquiagem de Gordon-Levitt feita para aproximar o visual do ator ao de Bruce Willis.

Continue lendo…

Pílulas | Sobre Batmans, Nicolas Cage e trailers

21 mar

“Quando o Comissário Gordon descobre uma conspiração para destruir a cidade, Bruce Wayne precisa voltar a usar o uniforme de Batman. Esperando por ele está a misteriosa Selina Kyle e Bane, um adversário letal numa cruzada para destruir Batman pedaço por pedaço”.

Esta é sinopse oficial de O Cavaleiro das Trevas Ressurge, terceiro filme do homem-morcego dirigido por Christopher Nolan. Ok, o texto não revela nada que a gente já não saiba. Mas a escassez de notícias sobre o filme tem gerado uma certa angústia, afinal, é um dos filmes mais aguardados do ano. Com a aproximação do lançamento, marcado para julho, a Warner sinaliza que voltará a divulgar novidades sobre o longa. A gente aguarda, ansiosamente, por um novo trailer.

Continue lendo…

Drive, de Nicolas Winding Refn

2 mar

DriveÉ interessante ver o desafio que um filme como Drive representa para as distribuidoras. É um filme que não se encaixa totalmente na definição de filme de ação, nem suspense, nem policial. Mas que é, ao mesmo tempo, um pouco dos três. Se é necessário categorizar, Drive pode ser qualificado como um estudo sobre o herói de filmes de ação. Nesse sentido, o diretor Nicolas Winding Refn produz uma espécie de anti-Velozes e Furiosos (para ficar na mesma temática): um filme que esbanja estilo em um ritmo deliberadamente lento, economizando na ação propriamente dita.

Continue lendo…